segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Embondeiro gigante



O Embondeiro é considerado uma árvore sagrada, inspirando poesias, ritos e lendas.
Segundo uma antiga lenda africana, por exemplo, uma vez que um morto seja sepultado dentro de um embondeiro, a sua alma irá viver enquanto a planta existir.
Também se diz que a alma dos mortos se pendura nos seus ramos.
Curiosamente, essa árvore tem uma vida muito longa, podendo chegar até seis mil anos.
Só a sequóia e o cedro japonês podem competir com o embondeiro, em longevidade .
Cabe salientar que esta planta foi amplamente divulgada no século XX, através da obra O Pequeno Príncipe, do escritor francês Antoine de Saint-Éxupery.

O seu nome científico é Adansonia Digitata, mas é também conhecida como Baobá Africano.
O embondeiro possui um tronco muito espesso na base, chegando a atingir até nove metros de diâmetro.
O seu tronco vai-se estreitando em forma de cone e apresenta grandes protuberâncias.
As folhas brotam entre os meses de Julho e Janeiro.
Em geral, o imbondeiro floresce durante uma única noite, apenas, no período de Maio a Agosto.
Durante as poucas horas da abertura das flores, os consumidores de néctares nocturnos - particularmente os morcegos -, asseguram a polinização da planta.
Tudo no embondeiro serve para a sobrevivência do ser humano.
Vale ressaltar que esta árvore também se constitui em uma fonte preciosa de medicamentos..
As suas folhas são ricas em cálcio, ferro, proteínas e lípidos, para além de serem usadas como um poderoso anti-diarreico e para combater febres e inflamações.
Um pó feito de folhas secas vem sendo utilizado para combater a anemia, o raquitismo, a disenteria, o reumatismo, a asma, e é usado, ainda, como um tónico.
O seu fruto é denominado Múcua.
A casca do fruto, é utilizada pelas pessoas como tigelas.
A polpa e a fibra de seus frutos são capazes de combater a diarreia, a disenteria e o sarampo.
O cerne da fruta combate a febre e inflamações no tubo digestivo; as sementes estão repletas de óleo vegetal, podendo ser assadas, moídas e consumidas como uma bebida que pode substituir o café.
Derrubar um embondeiro é um sacrilégio em Angola.
No que diz respeito à construção e carpintaria, ele só é utilizado quando não há outro material mais adequado.
A sua madeira serve para a construção de instrumentos musicais, e o seu cerne dá uma fibra forte usada no fabrico de cordas e linhas.

1 comentário:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Conforme disse no corpo do texto, baobá é o nome pelo qual eu conhecia esta árvore exótica; nunca vi pessoalmente, que aqui onde vivo não há dela; bom seria se houvesse, eu não sabia de tanto bem que as folhas dela fazem.